domingo, 21 de julho de 2013

Juntos numa causa...


"Enquanto se ensaiam as guerras e o fim deste projecto de paraíso, havemos NÓS por força SER...gotas de água cultivando as palavras da nossa VOZ numa causa comum. Ana Negrão"

Ana Negrão nasceu em Lisboa a 27 de Fevereiro de 1980. Dedica-se 
a duas grandes paixões, pintura e escrita onde transmite uma linguagem metafórica e de intervenção, sendo a arte o único caminho...tudo o resto vem da percepção e urgência que tem em construir algo que marque a sua individualidade.


Honrou-nos apoiando publicamente o Movimento Pela Água.
Mais que isso, e demonstrando uma generosidade tão grande como o seu talento, Ana Negrão brindou-nos com uma tela pintada propositadamente para apoiar o Movimento Pela Água.
Numa atitude de altruísmo Ana Negrão oferece-nos esta tela, enriquecendo a nossa causa.
Pelo seu apoio e gesto nobre, um Muito Obrigado, Ana Negrão. 

Nós já assinámos.

E tu? Já assinaste a Petição Privatização da Água a Referendo?
http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N11644



Terra Habitada

Das tempestades inesperadas
cultivo os sonhos
protegendo-os deste mundo efémero
e pensar que era urgente fechar os olhos
quando de olhos abertos alcanço o céu
essa terra habitada,

será isto prenúncio da morte
ou da salvação adormecida
nas baladas acordadas em mim....


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas


sexta-feira, 19 de julho de 2013

Areia deserta...

...se em vez de não ser tudo como é
fosse só eu e tu
os loucos teimosos que a sangue frio
celebram as madrugadas
lúcidas e fúnebres
numa areia deserta
quente
movediça
e
nos distrai o amor
fabuloso
inesperado...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas


segunda-feira, 15 de julho de 2013

Apago as vogais infectas...

As noites são quentes prolongadas
o verão insulta-me com palavras ardentes
apago as vogais infectas 
que me confundem
com os desejos do corpo
que não é mais que uma pérola mortal
submetida aos caprichos mundanos do tempo
tão violento e nobre
como as paredes de mar...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas



quarta-feira, 10 de julho de 2013

Demasiado irreal...


Despertam acordados
raios de sol ridículos
lutam contra a madrugada
demasiado irreal
a madrugada em breve será mãe
o sol em breve pai
e tudo em breve será esquecimento,
mas a madrugada morre
morre de parto
nascem-lhe filhos
e não se fez amor
jogaram-se jogos de luz e trevas
jogaram-se sonhos e pesadelos
chegam outras madrugadas...



Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas


terça-feira, 2 de julho de 2013

Que me trazem perplexa

Pressinto o fim deste projecto de paraíso
habitado por disparos longínquos
onde as guerras do poder
políticas nucleares consagradas
eleitas pela cegueira
vão ensaiando hipóteses de futuro
e nos revestem numa comum humanidade
pois eu prefiro os raios
que me trazem perplexa
numa realidade mais viva quente
imaginada em mim desde a véspera do amanhã
que amanhã é inverno outra vez....

Ana Negrão Ferreira.

Divagações Nocturnas