domingo, 30 de junho de 2013

Já só tenho tudo por fazer

Entrego-me ao vento
sem querer saber do tempo

nos contratempos do mundo
vejo
a névoa adiada contorcendo-se

agora
já só tenho tudo por fazer
numa esfera gigante
que me corrompe
e me impede de gritar as palavras...

Ana Negrão Ferreira.

Divagações Nocturnas

sábado, 29 de junho de 2013

Desdobro os pensamentos

Da minha vontade indomável
desdobro os pensamentos
de mãos abertas para o mundo
anseio os sorrisos roubados da inocência
desespero o cheiro da primavera
ancorado nas aves raras
que gritam por uma liberdade incompreendida

numa fatalidade desconcertante

abro asas...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas


domingo, 16 de junho de 2013

Só me lembra palavras...

São raros os momentos que matam a sede
e sabem evitar ainda diálogos irados de vento
e assim uma ponte apenas ponte
só me lembra despedida e fico sempre comovida
por ficar deste lado indiferente ao tempo
e assim uma fonte apenas fonte
só me lembra palavras
e vêm os acessos de saudade
indiferente fabulosa
e às vezes confundo tudo e choro
como se os olhos fossem duas granadas
que não se cansam de explodir sem direcção

mas com uma certeza
beijar o chão depois de o despir

Ana Negrão Ferreira

Divagações Nocturnas


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Tão devagar que os homens são...

Corto relações com tudo o que conheço
tudo o que é perfeitamente familiar
a raça identidade cultura

desterro-me livre
nua desamparada
como uma criança selvagem
pronta para renascer,
criar algo que tenha a minha marca
em vez de ser obrigada
a chupar os refrescos
que passam a vida
a tentar vender-me
qual a hora exacta da criação?
em que mês se celebra a cretinice?
qual o dia mundial da religião?
breve vago incerto
tudo marcha à velocidade da luz
no entanto tão devagar
que os homens são...
 

Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas