quarta-feira, 24 de abril de 2013

terça-feira, 23 de abril de 2013

Tal qual os homens são

O nudismo é a forma mais sublime
dos seres humanos se assumirem
tal qual os homens são
e quando o nudismo dá cadeia
isso só quer dizer 
que a verdade foi acorrentada
e a hipocrisia continua à solta...

...sofro de não saber
quando virá libertar-me a noite
esse dia longo e inconsequente
aquele que mais convém
a quem faz da vida um fruto apetecido
conservado ainda preso 
ao sal deste mar
e que há-de ser qualquer excepto um fruto!


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas


quarta-feira, 17 de abril de 2013

Castelos nocturnos



Silêncio



Ainda sabem falar ao vento

São raras as pontes 
que não cedem ao tempo
mesmo quando as fontes 
ainda sabem falar ao vento
e são raros os momentos
que se vestem de pontes
para combater o tempo
e são raros os tempos
que se vestem de fontes
e ainda sabem quebrar de palavras
o enfado monótono da vida...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas





Um dia destes ou um dia qualquer


Um dia destes ou um dia qualquer
talvez quem sabe
quando vida for milagre
já agora espero-o breve
ontem hoje amanhã
o sempre tudo ou nada
ou perece Deus ou o Diabo
ódio guerra paz sorte felicidade
um dia destes ou um dia qualquer
alguém diz com amor: 
- Dá-me a tua mão! Vem comigo!
vou mostrar-te o mar os barcos a água imensa
vou amar-te e dar-te tudo
mesmo que eu não te seja tudo
assim a vida saúda-nos por vezes
não tantas vezes
muitas vezes....

Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas






segunda-feira, 8 de abril de 2013

Nas mãos em concha...

Ter sempre uma gota de água
guardada nas mãos em concha
puras
e nunca ter mágoa
de apagar o sol com ela
nunca ter mágoa de ser caravela
que a água é sempre mais bela
do que o sol que por nós vela
neste vale de lágrimas onde choramos de sede

sabendo que não há água
nas mãos em concha
puras de apagar o sol
uma gota apenas
nas mãos em concha...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas

 

domingo, 7 de abril de 2013

Dos Átomos Invisíveis...

Bem hajam as flores
queimadas por agosto
bem hajam os frutos
renascidos das coisas
bem haja buda adormecido
em êxtase e sonho incompreensível
e bem haja o acordar das coisas
transparecidos dos átomos invisíveis
bem haja meu corpo e espírito em silênco

mutantes da alma que os desfez em palavras...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas







 

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Combater estes tempos...

O mundo está todo roto
mas como só alguns o sabem

muitos caem pelos seus buracos
a que chamam também de ratoeiras
é demasiado provável a tempestade do caminho
mesmo assim
pressinto as cores
desespero as flores
com a primavera que inventei
sinto a loucura
e não consigo esquecer
os dias e as noites que fui
os dias e as noites que serei
visto-me nas pontes
para combater estes tempos
que confundem os homens
ao esquecimento de suas glórias...


Ana Negrão Ferreira
Divagações Nocturnas